quinta-feira, 9 de abril de 2009

Recordação





Recordação



Para uma Avó que não iria conhecer

Você gostava de viajar pela Europa.
Principalmente, Paris, porque falavas bem francês, apreciavas o Theatre de L´ Opera.
Tive licença de te acompanhar nas viagens.
Rezava contigo nas Catedrais.
Viajaste ao Santuário de Lourdes; te acompanhei - só lamentava que não pudesses ver o que eu tinha direito, porque eu era uma alma - ah! Se pudesses ver o que eu via! É tão sutil e tênue o Espaço entre o mundo do Espirito e a Matéria...Nas tuas preces, entravas em contato com o mundo dos teus Anjos, nas Auras das Catedrais. Em Lourdes, do Céu, chovia uma neblina de eflúvios que deslizavam sobre ti... eu, ao teu lado, de brincadeira, colhia-os na concha da mão e repunha-os sobre a coroa de tua cabeça...
Ajudei teu desencarne e me despedi de ti chorando, quando desci à Terra.
Ao contrário de ti, em minhas viagens, eu escolhia os povos antigos e os paises do Oriente.
De Paris, tenho só a recordação de nossos passeios...
Agora, não falta muito para nos reencontrarmos: e da India, sabes que foram a morte e a
Vida juntas numa vivencia que extrapolou toda esperança humana.
clarisse

Um comentário:

mariah disse...

Clarisse,

Como se desvela a Alma...
no Santuário do Universo...
que arrepio de luz.

venho aqui e saio misteriosamente melhor, nem sei bem o que se passa.

as letras estão vivas como tudo o que é Vida.

Obrigada,Clarisse